Vamos falar de apego/desapego.

É, cara… Tenho tentado cada vez com mais força lidar com a prática do desapego. Eu sempre fui muito apegada às pessoas, mas eu nem sempre tive a consciência de que isso era de fato ruim pra mim, e se tornaria pior depois que eu tomasse consciência disso.

Viver assim, apegada, só te prende, sabe? E viver preso é um saco… Você meio que se torna “vítima culpada” disso tudo. “Vítima”, pois você sofre por cada milésimo desse apego e “culpado” por você meio que ter se deixado andar por esse caminho e pra resolver isso, só você pode mudar sua rota.

Tá, é difícil ter que mudar algo que é quase parte de sua essência, mas às vezes é demasiadamente necessário, e esse é meu caso. Necessito mudar isso em mim, pra ter uma vida mais saudável. E vou mudar.

Imagem

Mas, a gaiola é você
Se você não voa, a culpa é tua
Se isso fosse uma tevê
Eu já teria mudado o canal
Ou desligado o aparelho
E me atirado na rua

“I know times are getting hard
But just believe me, boy
Someday I’ll pay the bills with this guitar
We’ll have it good
We’ll have the life we knew we would
My word is good” ♫

“Nobody said it was easy”

so, keep me fighting for you.